1591

Câmara Municipal de Canudos

Pular para o conteúdo

Pandemia deixará aprendizados para a humanidade, diz Girão

Fonte: Fonte: Agência Senado
11/06/2020 às 13h56

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Em pronunciamento nesta quarta-feira (10), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) ressaltou que a pandemia da covid-19 deixará ensinamentos para a humanidade e poderá ser uma ótima oportunidade para se desenvolverem novos formatos de relações humanas. As pessoas tenderão a ser mais solidárias e fraternas, afirmou.

O senador disse que, apesar da situação difícil que que o país enfrenta,  há “ótimas notícias”. Segundo ele, é perceptível que a vida já está voltando à normalidade em todo o mundo. Girão citou como exemplo a abertura gradativa de comércio, parques, praias e piscinas com a retomada parcial do convívio social. Segundo ele, a pandemia proporcionará muitos ensinamentos às pessoas e ditará novos rumos à humanidade.

— Eu acredito sinceramente que essa pandemia não ocorreria sem um propósito de Deus. Propósito de nos fazermos mais solidários uns para com os outros, mais fraternos; de desenvolver nossa compaixão para com o próximo. Não tenho dúvidas de que a humanidade será completamente diferente: vai ser antes e depois dessa pandemia. As relações comerciais irão mudar. Já notamos um movimento, no Brasil, de pessoas incentivando a compra de produtos nacionais, o que fortalece muito a nossa economia: a priorização pelos produtos nacionais, além das relações entre as pessoas que estão mais próximas. Quando tudo voltar ao normal, e vai voltar, porque tudo passa, nós não poderemos esquecer essa missão. Este é o convite que a vida nos está fazendo nessa provação global que estamos atravessando. Eu acredito que, se guardarmos todos esses aprendizados, iremos ficar mais fortes como nação e melhores como seres humanos a partir disso — afirmou.

Girão destacou também a retomada dos campeonatos de futebol no exterior e defendeu o que o Brasil igualmente retome as competições, adotando todas a medidas preventivas que a situação exige.

— Claro que com certas precauções e desde que o Brasil volte com aqueles protocolos sanitários rígidos de segurança máxima para prevenir todos os envolvidos — ressaltou.